16 de out de 2014

Parte 1: O Forasteiro

O conto funciona assim, eu escrevo até um ponto especifico e no final da postagem haverá uma enquete para a continuação da historia, você que decide o que vai acontecer, você quem escreve comigo. Peguei essa ideia do blog da Karol Pinheiro.

Aqui é você quem escreve comigo,  vote e a historia continua...


Segunda-Feira, 7 de Julho de 2014.

Sabe, mudar de cidade não é fácil, deixar os amigos, deixar tudo lá e começar uma nova historia aqui, a palavra certa para tudo isso seria desapegar.

O emprego do meu pai transferiu ele de cidade, ofereceram uma ótima proposta e obviamente ele aceitou, eu não queria que isso acontecesse, não queria deixar as pessoas que eu gosto mas não tive escolha. Já penso como vai ser meu primeiro dia na escola nova, eu lá na frente me apresentando, e as pessoas me encarando e sussurrando no ouvido das outras sobre mim. Me sentia um forasteiro.

Eu estava gostando de uma garota da minha cidade natal, tava tudo indo tão bem até acontecer isso tudo, eu disse que voltaria por ela, mas claro que isso não vai acontecer, são apenas aqueles momentos de "Eu não quero te deixar aqui!" embora eu ainda converse com ela sempre no Whatsapp, e claro, mantenho contatos com todos os meus amigos para não me sentir tão sozinho, obrigado internet por existir.

...

Hoje é meu primeiro dia de aula, a escola é maior do que eu imaginei, eu estava relativamente atrasado para a aula, foi difícil achar a sala e quando eu a encontrei o professor foi logo mandando eu me apresentar, não deu tempo nem de respirar, estava nervoso com todas aquelas pessoas me olhando, observei todos da sala e me apresentei:

— Oi, meu nome é Pietro e eu vim de Curitiba... — Não tinha mais nada para falar, travei e logo fui procurar uma cadeira para sentar, a única cadeira livre estava ao lado de uma garota, ela tinha cabelo preto e curto com mechas azuis e a pele rosada. Não a encarei, baixei a cabeça e sentei.

Estava morrendo de tédio, e eu precisava fazer amigos então eu não pensei duas vezes e arrisquei falar com ela.

— Oi, tudo bem?
— Tudo. — Ela olhou para mim, o olhar dela era profundo, parecia ter uma personalidade forte, eu gosto de analisar as pessoas..
— Como você se chama?
— Alice. — Deu um sorriso meio torto e se virou para frente, ela não queria muita conversa.
— A tá.

Voltei a olhar para o quadro mas não estava prestando atenção em nada, minha cabeça estava voando por aí, pelo visto vai ser difícil fazer um amigo aqui. Não faltava muito para o almoço, a escola é em tempo integral e nem tenho com quem sentar no almoço, mas eu supero #StayStrongPietro. O sinal tocou, todos se levantaram imediatamente para ir almoçar, então eu fui seguindo o fluxo até chegar na cantina, paguei meu almoço e fui procurar uma mesa pra sentar, encontrei a Alice com os amigos dela, não sei se eu deveria ir falar com ela, mas eu fui mesmo assim, não tinha nada a perder com isso mesmo...

 

2 comentários:

  1. Matheus, eu tenho uma pequena sugestão pro seu conto: o mais lógico e divertido seria ela não convidar ele pra sentar, porque desta forma a história nunca chegaria no clímax; além de dificultar pra você (na escrita), irá deixar o texto desanimado e sem sal para o leitor. Veja se você concorda comigo: não seria bem mais interessante se ela fosse uma daquelas garotas difíceis e ele passasse a se sentir atraído por ela (justo por causa desta barreira que ela coloca entre os dois)? Ele, inicialmente, se sentiria rejeitado. Mas um leitor atento poderia perceber que, por trás de toda a frieza da Alice, existe uma garota insegura e com medo de se deixar apaixonar. A partir deste início você desenrolaria (:
    Gostei muito desta iniciativa, já que ela deixou o blog bem mais atraente e, sobretudo, deixará o leitor preso à leitura.
    Abraços,
    AlguémAnsiosoParaSaberODesenrolarDestaHistória

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus, desculpa a demora para responder. Bom eu mesmo votei para ela não sentar, mas agora é tarde demais, não é? Tarde demais para voltar a trás, mas já fiz o próximo capitulo e pelo meu ver eu acho que ficou meu atraente, espero que você goste do próximo capitulo.

    ResponderExcluir